“Taxa do rotativo não deve cair tanto quanto se esperava”, diz CEO do Santander

Ministério Público do Trabalho processa IBM por ‘discriminar trabalhadores mineiros’ em seleção de emprego
1 de fevereiro de 2024
Com Selic a 11,25%, quanto rende R$ 1.000 na poupança, Tesouro Direto ou CDB
1 de fevereiro de 2024

“Taxa do rotativo não deve cair tanto quanto se esperava”, diz CEO do Santander

O novo teto para os juros rotativos do cartão de crédito pode não ter o efeito planejado, na avaliação de Mario Leão, CEO do Santander Brasil. “A taxa do rotativo não deve cair tanto quanto se esperava. Será impossível cair a apenas um dígito por mês como era a expectativa inicial”, afirmou o CEO em coletiva com jornalistas nesta quarta-feira, 31, para comentar os resultados do banco no 4º trimestre de 2023.

Em dezembro do ano passado, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou o teto de juros do rotativo em 100% para 2024 – os juros médios anuais anteriores chegavam a 477,59%. Leão avaliou o teto como um remédio temporário para um problema ainda não resolvido.
A melhor saída, segundo o CEO do Santander, passaria por incluir algum tipo de restrição às compras parceladas sem juros. Na solução ideal, o parcelado sem juros seria revisitado para gradualmente ser substituído por um parcelado com juros, que permitiria taxas mais atrativas que as hoje oferecidas no rotativo.

Fonte: Exame

Os comentários estão encerrados.