Gestão desumana da Caixa facilita o assédio moral

FGTS: saque-aniversário já está disponível para os nascidos em dezembro; veja como
3 de dezembro de 2021
Redução das desigualdades pode erradicar a Aids
3 de dezembro de 2021

Gestão desumana da Caixa facilita o assédio moral

A atual gestão da Caixa, com políticas de cobrança por metas desumanas, pressão severa por desempenho e produtividade, facilita o assédio moral aos empregados. Mais de 53% já sofreram com a prática.

Os bancários adoecem cada vez mais com o estabelecimento de programas como o GDP (Gestão de Desempenho de Pessoas), o PQV (Programa de Qualidade de Venda), o gerador de “sprints” e até plataforma de colaboração de equipes e grupos de WhatsApp.

Entre os exemplos de assédio moral já reconhecidos na esfera judicial estão o isolamento, o não repasse de atividades, humilhações, constrangimentos, xingamentos e definição de metas impossíveis de serem alcançadas. Tudo isso faz o número de doenças disparar, sobretudo psicológicas.

De acordo com dados do TST (Tribunal Superior do Trabalho), os afastamentos por transtornos mentais, como depressão e ansiedade, tiveram aumento de 33,7%, na comparação entre 2020 e 2019.

A gestão desumana da Caixa não pode continuar abusando do poder sob justificativa de motivar os empregados. O Sindicato dos Bancários da Bahia orienta aos trabalhadores a denunciarem as práticas abusivas e desrespeitosas.

Fonte: Seeb/SP

Os comentários estão encerrados.