Ford anuncia demissões nos Estados Unidos, mas não divulga os números

Bancos privados discriminam mulheres com mais de 40 anos
14 de março de 2019
Retenção de carteira de trabalho três anos após a morte de empregado afeta direito dos herdeiros
15 de março de 2019

Ford anuncia demissões nos Estados Unidos, mas não divulga os números

A Ford confirmou nesta quarta-feira que está cortando um número não especificado de empregos assalariados nos Estados Unidos como parte de uma reorganização global anunciada no ano passado e que incluiu um fechamento de fábrica no Brasil.

Said Deep, porta-voz da companhia, se recusou a dizer quantos empregos estão sendo cortados, mas disse que a empresa espera que o processo seja concluído até o fim de junho. Ele disse que a reestruturação “resultou em algumas separações de empregados assalariados e na realocação de outros”.

A Ford informou no ano passado a reorganização de sua força de trabalho global, o que resultará em redução de pessoal, e isso vai variar de acordo com a equipe e o local.

No mês passado, a Ford disse que fechará sua fábrica mais antiga no Brasil, em São Bernardo do Campo (SP), deixando de produzir caminhões e veículos comerciais na América do Sul, uma medida que envolve mais de 2.700 empregos.

A Ford disse que a reorganização global envolverá milhares de empregos e possíveis fechamentos de fábricas na Europa e resultará em 11 bilhões de dólares em encargos.

Em janeiro, o presidente-executivo da Ford, Jim Hackett, disse aos funcionários que 2018 tinha sido “medíocre” e acrescentou que era “hora de enterrar o ano (2018) em um túmulo profundo, chorar o que poderia ter sido e se tornar super focado em atingir e exceder o plano deste ano”.

As montadoras estão reduzindo custos em meio a temores de uma desaceleração nas vendas de automóveis.

A General Motors está suspendendo a produção em cinco fábricas na América do Norte e cortou cerca de 8 mil empregos, ou 15 por cento de sua força de trabalho administrativo.

Fonte: UOL

Os comentários estão encerrados.