Caixa lança cartão consignado; analista alerta para risco de endividamento

Centrais divulgam nota contra admissibilidade da Reforma da Previdência
16 de abril de 2019
Reunião da Contec com Santander discute vários assuntos de interesse dos bancários
17 de abril de 2019

Caixa lança cartão consignado; analista alerta para risco de endividamento

Até junho, agências da Caixa de todo o país estarão oferecendo aos beneficiários do INSS o Cartão de Crédito Consignado. O produto – que poderá ser usado para compras convencionais – prevê margem consignável de 5% do valor do benefício, em vez dos 30% do empréstimo consignado tradicional.

O cartão, que começou a ser ofertado na segunda-feira (15), em Brasília, terá taxa de juros de 2,85% ao mês. Já o limite de crédito pode ser de até 1,4 vezes o valor do benefício – ou seja, uma pessoa que recebe R$ 2 mil terá limite será de R$ 2,8 mil.

O público alvo do produto são 21 milhões de aposentados e pensionistas.

“Esse é um segmento estratégico e que não encontra essa solução de crédito no mercado de forma abrangente”, explica o vice-presidente de Produtos de Varejo da CAIXA, Julio Cesar Volpp Sierra.

idosos se endividam mais

Com o cartão, a Caixa entrar em um mercado que movimenta quase R$ 340 bilhões ao ano e que não para de crescer, já que a garantia do pagamento da dívida é a fonte de renda do cliente. O financista Fabrizio Gueratto vê pontos positivos no lançamento, como a taxa de juros de 2,85%, contra os 15% da concorrência. Porém, essa vantagem não afasta o risco do endividamento de idosos.

“Atualmente, temos mais de 60% das famílias brasileiras endividadas. É o maior patamar desde 2015. O cartão de crédito é o principal motivo para 78% das famílias. Em muitas delas, o aposentado virou a única fonte de renda, e ele tem muita facilidade para conseguir dinheiro emprestado. Esses fatores combinados acabam virando uma bola de neve”, avalia.

Segundo dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), o número de idosos (acima de 65 anos) inadimplentes subiu 8%. no primeiro trimestre. A elevação também foi observada nas faixas etárias de 50 a 64 anos (4,76%).

Fonte – Destak Jornal

Os comentários estão encerrados.