BNDES intransigente não assina acordo coletivo e leva ao TST

Juro do cartão de crédito avança para 398% anual, maior valor em cinco anos
29 de setembro de 2022
BB: Funcionários cobram transparência da Cassi e negociações com o banco
29 de setembro de 2022

BNDES intransigente não assina acordo coletivo e leva ao TST

O BNDES é o único dos bancos, entre públicos e privados, que não assinou acordo coletivo. Sua diretoria suspendeu as negociações, no dia 8 de setembro, e solicitou a mediação do TST

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) reuniu-se com a Comissão de Negociação dos Empregados do BNDES, nesta terça-feira (27/9), numa primeira fase da audiência de mediação solicitada pelo banco sobre o acordo coletivo de trabalho. A audiência conjunta ainda será marcada pelo Tribunal.

 

O BNDES é o único dos bancos, entre públicos e privados, que não assinou acordo coletivo. Sua diretoria suspendeu as negociações, no dia 8 de setembro, e solicitou a mediação do TST por entender que não havia “convergência” sobre a proposta de compartilhamento do custeio das despesas do Plano de Assistência à Saúde (PAS).

 

O BNDES queria incluir no ACT uma cláusula neste sentido, sem discussão e estudos prévios sobre critérios. A proposta foi rejeitada pelos empregados em assembleia. A Comissão de Negociação defendeu a criação de um Grupo de Trabalho paritário para debater a questão fora do acordo. O plano nunca constou do ACT, nem contou com a contribuição dos empregados e sua inclusão, agora, em meio à negociação da Campanha Nacional Unificada, é uma imposição arbitrária.

Fonte: Seeb/Rio

Os comentários estão encerrados.