Fraude do FGTS atinge cinco milhões de pessoas

Governo insiste em votar reforma da Previdência. Se falhar, já tem plano B
10 de outubro de 2017
Reunião da mesa permanente de negociação CAIXA/CONTEC
11 de outubro de 2017

Fraude do FGTS atinge cinco milhões de pessoas

Golpe circula em mensagens de rede social e rouba dados dos beneficiários

Em julho, a Polícia Federal desarticulou uma quadrilha que desviou pelo menos R$ 4 milhões de contas do FGTS, após roubar dados dos beneficiários, que preencheram cadastros em links falsos encaminhados pela internet.

— O trabalhador que fez essa inscrição nesses sites deve procurar a Caixa imediatamente, mesmo se não foi roubado, para alterar a senha do Cartão Cidadão e evitar, assim, que os criminosos continuem com acesso à sua conta — orienta Mário Avelino, presidente do Fundo Devido ao Trabalhador.

Com relação a eventuais divergências em saldos na conta do FGTS, a Caixa recomenda que o trabalhador se dirija a qualquer agência do banco para efetuar a contestação do saque e do saldo remanescente. Após abertura do procedimento, o banco avalia cada caso individualmente, conforme o grau de complexidade. O prazo máximo de resposta é de até 30 dias, podendo ser concluído antes.

Caso a Caixa reconheça a pertinência da contestação, os valores são estornados, sem qualquer prejuízo ao trabalhador. Para evitar cair no golpe, o banco orienta os trabalhadores a procurarem informações apenas nos quatro canais oficiais da instituição: no site oficial, em seus perfis nas redes sociais, por meio do telefone 0800-726-0207 ou pelo aplicativo.

 

 

Os comentários estão encerrados.